sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A educação do alto

Por Eric Nascimento de Souza
Geralmente em algumas conversas, noto que quando o assunto tende a diferenciação de classe social, a conversa fica desorientada. Parece-me que a maioria das pessoas atribui um enorme valor aos de “classe”, como se os outros menos abastados do dinheiro não o fossem. Isto me parece estar no subconsciente das pessoas, elas dizem: “vamos àquele lugar chique”, “olhe àquela senhora como se veste, ela tem dinheiro”, “as pessoas neste lugar (que é chique) são mais educadas”, etc. Convenhamos, tudo isto é ilusório. São roupas, carros, lugares e pessoas que aparentam certa educação e que para os néscios das coisas de Deus, tudo fica muito lindo e atraente.
Não discordo que devemos almejar os melhores pontos sociais para irmos com a nossa família (mas quem disse que deve ser o mais caro?), que possamos conquistar bens que proporcionem o conforto da nossa família; mas, insistir que há uma atmosfera diferente nas ditas high society, como se estivesse em outro mundo ou até mesmo usufruindo antecipadamente do paraíso, acho uma tolice.
Claramente, notamos que em certos lugares, as condutas ou formas de agir são diferentes. Cito como exemplo uma pessoa que se veste para ir ao maracanã e no outro dia vai a um casamento. Os dois ambientes têm diferenças marcantes de vestuário e comportamento, porém não importa a classe social desta pessoa ou onde ela tenha sido educada, ela agirá conforme a padronização do lugar. O fato de ser pobre ou rico não definirá se a pessoa irá ser um adúltero, bandido, traficante ou coisa pior; o que definirá o estado de excelência desta pessoa é a sua posição em Cristo. Gerações podem ser educadas nos melhores colégios ou vice versa, freqüentarem as melhores classes sociais, usufruírem das benesses deste mundo, mas se não forem cristãos não tem a educação do alto: aquela que é superior a tudo, aquela que é verdadeira como o seu Autor, aquela que transforma um adúltero em marido fiel, um assassino numa pessoa de bem, um bandido num homem íntegro, entre outras.
A nossa posição como cristãos é filtrar estas falsas impressões da sociedade relacionada aos bens e mostrar que a verdadeira educação, o verdadeiro lugar para estar com a nossa família está entre os cristãos, que pela misericórdia de Deus estão sendo santificados, transformados em verdadeiros homens que esmeram por sua conduta (não importando onde estejam) e pautando-se pela ética e moralidade (não importando a classe social de onde venha). Esta não é uma educação secular, vinda das melhores escolas e universidades do planeta. Esta é uma educação vinda da salvação em Cristo, da regeneração do homem pelo poder do Espírito Santo de Deus. Esta educação diferente das outras e infinitamente superior, vem do alto.