quarta-feira, 25 de maio de 2011

Wayne Gruden - A importância da doutrina da Trindade

 
Por que a igreja estava tão preocupada com a doutrina da Trindade? Será que ela é realmente essencial para sustentar a plena divindade do Filho e do Espírito Santo? Sim, pois seu ensino tem implicações para o coração da fé cristã.

Primeira, a expiação está em jogo aqui. Se Jesus fosse meramente um ser criado, e não plenamente Deus, então é difícil ver como ele, uma criatura, poderia suportar plenamente a ira de Deus devida por todos os nossos pecados. Poderia qualquer criatura, não importa quão grande ela fosse, realmente salvar-nos?

Segunda, a justificação somente pela fé é ameaçada se negamos a plena divindade do Filho. (Isso é visto hoje no ensino das testemunhas de Jeová, que não crêem na justificação somente pela fé.) Se Jesus não fosse plenamente Deus, seria correto duvidarmos de sua capacidade de salvar-nos e não confiaríamos nele completamente. Poderíamos na verdade depender plenamente de qualquer criatura para nossa salvação?

Terceira, se Jesus não fosse o Deus infinito, nós oraríamos a ele ou o adoraríamos? Quem senão o infinito e onisciente Deus poderia ouvir e responder a todas as orações de todo o povo de Deus? E quem, além do próprio Deus, é digno de adoração?
De fato, se Jesus fosse meramente uma criatura, não importa quão grande, seria idolatria adorá-lo - todavia, o NT ordena que o adoremos (Fp 2.9-11; Ap 5.12-14).

Quarta, se alguém ensina que Cristo é um ser criado, mas, ainda assim, alguém que nos salvou, tal ensino começa erroneamente a atribuir crédito pela salvação à criatura e não ao próprio Deus. De forma errônea, esse ensino exalta à criatura em lugar do Criador, algo que a Escritura nunca nos permite fazer.

Quinta, a independência e a natureza pessoal de Deus estão em jogo: Se não há Trindade, então não houve relacionamento pessoal dentro do ser de Deus antes da criação, e, sem relacionamento pessoal, é difícil ver como Deus poderia ser genuinamente pessoal ou existir sem a necessidade de uma criação com quem pudesse relacionar-se.

Sexta, a unidade do universo está em jogo: Se não há perfeita pluralidade e perfeita unidade no próprio Deus, então também não temos base alguma para pensar que possa haver qualquer unidade suprema entre os diversos elementos do universo. Claramente, na doutrina da Trindade, o coração da fé crista está em jogo.

Extraído do livro “Teologia Sistemática” – Ed Vida Nova.