quarta-feira, 20 de julho de 2011

Natan de Oliveira - Muitos são chamados, mas poucos escolhidos

"Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá prato e ranger de dentes. Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos." Mateus 22.13-14

Para quem tem uma visão pessimista do futuro da história da humanidade, este versículo bíblico que contém a frase "poucos escolhidos" é clássico como forma de explicar que a minoria será salva, e a grande e absoluta maioria (muitos chamados) estará no inferno.

É ou não é assim?

Tanto dispensacionalistas quanto amilenistas, ambos pessimistas quanto ao futuro da história e ambos crentes de que o mundo está numa caminhada crescente rumo à apostasia total, ambos os grupos crêem piamente que o muitos aqui estaria falando dos que se perdem, e o poucos estaria falando dos que recebem salvação eterna.

Será que é isto mesmo?

Vejamos...

Jesus começa a ensinar por parábolas e diz:

"O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bordas de seu filho." Mateus 22.2

Ensina que o convite para participar das bodas do seu filho, foi primeiramente direcionado aos judeus (de sangue) que na ocasião eram o povo escolhido dentre todos os outros.

Entenda o convite para fazer parte das bodas, como sendo o convite para fazer parte do Reino (da igreja espiritual invisível - existente mesmo na velha aliança, mas ainda não conhecida por este nome).

"E enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir." Mateus 22.3

Os servos que faziam o convite, leia como sendo os profetas do Velho Testamento pregando ao povo de Israel (de sangue).

Os judeus na sua maioria (enquanto povo) rejeitaram o convite.

"Depois, enviou outros servos, dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e cevado já mortos, e tudo já pronto; vinde às bodas. Eles, porém, não fazendo caso, foram um para o seu campo, outro para o seu tráfico; E os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram." Mateus 22.4-6

Mesmo não ouvindo os profetas, Deus envia o próprio Filho Jesus Cristo; e mesmo a este, os judeus da época crucificaram e não reconheceram como sendo o Messias profetizado pelos profetas, Deus então ira-se e envia exércitos aliados e liderados pelos romanos para atacar e destruir Jerusalém no ano 70.

"E o rei, tendo notícia disto, encolerizou-se e, enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade." Mateus 22.7

Inicia-se então o período conhecido como história da igreja, e Deus envia então novos profetas e evangelistas para que preguem e estendam o convite para as bodas (fazer parte da igreja invisível) para todos os povos gentios, até então chamados de pagãos e que não faziam parte do povo escolhido (os judeus).

"Então diz aos servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. Ide, pois, às saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes." Mateus 22.8-9

Este tempo de convite tem durado mais ou menos uns 2000 anos, e pessoas de todos os povos, tribos e nações, tem ouvido falar do Evangelho e estão sendo convidados a fazerem parte do Reino e se alegrar (bodas festivas) com o estabelecimento do Reino do Filho.

"E os servos, saindo pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa foi cheia de convidados." Mateus 22.10

Interessante começar a observar que o número dos participantes da igreja (da festa) vai se mostrando um número crescente, pois a festa foi ficando CHEIA de convidados...

"E o rei, entrando para ver convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu." Mateus 22.11-12

Importante fazer uma pausa aqui.

Meus irmãos dispensacionalistas crêem que as Bodas do Cordeiro (do filho) se darão em paralelo no céu, enquanto que aqui na terra se desenrola a Grande Tribulação, e que só participarão das Bodas do Cordeiro aqueles que estiverem preparados para o arrebatamento da igreja em dias próximos aos nossos dias de 2009.

Fica a pergunta.... Se para participar das Bodas do Cordeiro, precisa-se estar entre os arrebatados... Então como é que Jesus ensina que teve um que conseguiu entrar na festa sem estar trajado adequadamente? Será que ele teria sido arrebatado por engano........?

Voltando ao nosso texto.

Passados muitos anos, eu reputo que milhares e milhares, e a Bíblia mesmo me parece afirmar que serão mil gerações, o que dá uma conta de no mínimo 40 mil anos (numa vida de quarenta anos em média, multiplicado por mil gerações)...

"Lembrou-se da sua aliança para sempre, da palavra que mandou a MILHARES de gerações." Salmos 105.8

"Lembrai-vos perpetuamente do seu concerto e da palavra que prescreveu para MIL gerações." 1 Crônicas 16.15

Ao final deste MILÊNIO de gerações...

... Deus na pessoa de Seu Filho Jesus, retorna para terra e encontra os convidados preparados para o auge da festa, e dentre os muitos convidados (note que na ocasião da Segunda vinda do Senhor a festa estará CHEIA), vê UM homem que não estava trajado corretamente...

Paremos... Então a festa parece estar lotada de gente vestida corretamente, ou a festa parece estar lotada de gente vestida incorretamente?

O texto diz que quando da vinda do Senhor no fim dos tempos, UM só (dando a idéia de que serão poucos os não preparados e vivificados pela pregação do Evangelho) não estará corretamente vestido.

Então (IMPORTANTE NOTAR o contexto de onde sai o texto clássico do pessimismo escatológico quanto ao futuro da história), logo depois de o Senhor perceber que no auge da festa "um só" estava incorretamente vestido, ele diz:

"Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá prato e ranger de dentes. Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos." Mateus 22.13-14

Qual a conclusão lógica da fala do Senhor?

1. Estaria falando ele que muitos são chamados PARA A PERDIÇÃO, mas poucos escolhidos PARA SALVAÇÃO?

2. Ou estaria falando ele que muitos são chamados PARA A SALVAÇÃO, mas poucos escolhidos PARA PERDIÇÃO?

Percebeu a diferença?

Se a festa estava lotada de convidados corretamente vestidos para as bodas e um só equivocadamente vestido, a interpretação correta é a 2, e por isto que somos otimistas quanto ao crescimento do Reino e o seu glorioso futuro.

E por isto especulamos que mesmo em números absolutos, num futuro de milhares de anos, e sendo vivificados em cada vez maior número, por ocasião do fim dos tempos, o número de verdadeiros eleitos e participantes da igreja neste mundo será muito, mas muito maior do que o número de perdidos, e por isto afirmo com otimismo que Jesus está a ensinar que muitos serão chamados para a salvação e poucos escolhidos para a perdição.

Se o correto fosse o inverso, muitos chamados para a perdição e poucos escolhidos para a salvação, então no auge da festa o Senhor teria que ter encontrado muitos vestidos incorretamente para a festa.

Fonte: Oliveira - Reflexões Reformadas