sábado, 24 de dezembro de 2011

Eric N. de Souza - Natal, um dia abençoado por Deus como outro qualquer



Natal. Não vou repetir aqui sobre sua origem pagã (onde muitos deixam de comemorá-lo por isto) porque na internet podemos encontrar vários artigos sobre isto. Não vou falar da mentira envolvida pela ilusão do Papai Noel que possui algumas características ou atributos divinos. Não vou falar sobre a oportunidade de falarmos nesta época da Palavra de Deus (onde muitos comemoram este dia), já que o mundo está “aberto” a ouvir sobre Jesus Cristo, afinal supostamente Ele é o aniversariante.

Vejamos, por mais que seja boa a intenção de passarmos que Jesus Cristo é o aniversariante do dia, pergunto: Ele nasceu neste dia? O aniversário Dele deve ser comemorado reunindo a família com uma mesa farta e trocando presentes? Estaria fazendo um evangelismo correto dizendo que neste dia devemos celebrar Jesus, tendo em vista as inverdades contidas nos pontos anteriores ora citados? Estaria eu agindo corretamente estimulando um suposto dia especial de Cristo numa data viciada pelo exagero mercadológico e marqueteiro que utiliza-se de um símbolo cristão (já em desuso) para não tornar-se mundano demais ou vender mais um pouquinho?

Todos os dias são os dias do Senhor, vivenciamos a cada momento de nossas vidas a lembrança da encarnação do nosso Senhor e Salvador e principalmente seu sacrifício vicário. Não preciso abusar ou usar de quaisquer meios para alcançarmos supostamente um fim desejado, pois no cristianismo os fins não justificam os meios. Sei que é um tema onde grandes teólogos tem suas opiniões divididas e quem sou eu para falar algo, mas para quem quiser ler, este é o meu ponto de vista. Nos valemos de tudo do mundo para adaptarmos o Evangelho, temos festa junina ou julhina gospel, discoteca gospel, luta livre gospel, shows de rock gospel, porque não aproveitamos o feriado de Nossa Senhora Aparecida e elaboramos um culto específico sobre a mãe terrena de Nosso Senhor para angariar algumas almas? Desculpem-me, mas na minha humilde opinião, não vejo tais celebrações com bons olhos. Temos que aprender a dizer não, a falarmos sobre o nosso ponto de vista, sem medo de sermos tachados: anti-sociais. Natal, um dia abençoado por Deus como um outro dia qualquer.

Agora, se quisermos trocar presentes e comer boa comida, beber refrigerantes e sucos, reunindo os familiares e amigos, estou nessa, só não mistifiquem o dia dizendo que é especial para Jesus ou para a evangelização, pois como falei todos os dias são iguais e é o Espírito Santo quem converte (não tendo eu que aproveitar data ou evento algum).

Porque não celebramos ou motivamos nossos familiares e o mundo a comemorar o dia da Reforma Protestante? Puxa, acho que não, caiu no mesmo dia do Halloween. E se fizermos um Halloween protestante? Iríamos evangelizar? Fica para cada um o seu próprio entendimento.