sábado, 16 de junho de 2012

John MacArthur - Evangelho atraente?



Afinal, se a nossa tarefa é alcançar o mundo com o evangelho, por que não procurar expressá-lo de forma atraente à mente humana? Paulo responde a essa pergunta dizendo que tentar fazer isto torna vã a cruz de Cristo. E há duas razões por que isso é verdade. Primeira, a mensagem da cruz “é loucura para os que se perdem” (1Co 1.18). Não podemos torná-la diferente e ainda permanecermos fiéis à Palavra. Segundo, é impossível elevarmos a sabedoria humana sem, com isso, rebaixarmos a verdade divina. A sabedoria humana alimenta a vontade própria, o orgulho intelectual e social, as concupiscências carnais e o desejo de ser independente de Deus. Logo, a sabedoria humana e o evangelho são constitucionalmente incompatíveis. Procure conciliar os dois e, Paulo afirma, você tornará o evangelho nulo e inválido.

A razão pela qual as pessoas gostam de religião sofisticada e moralidade intelectual é o fato de que estas coisas apelam ao ego humano. Ao mesmo tempo, a sabedoria mundana escarnece do evangelho precisamente porque ele confronta a presunção humana. O evangelho exige que as pessoas reconheçam seu pecado e incapacidade espiritual. O evangelho humilha as pessoas, convence-as do pecado, chamando-as de pecadores. Além disso, oferece a salvação como uma obra graciosa de Deus, não algo que alguém possa conquistar por seus próprios esforços. A cruz esmaga completamente o orgulho humano.

Fonte: “Com vergonha do Evangelho” da Editora Fiel