segunda-feira, 11 de junho de 2012

Vincent Cheung - Jesus e as missões



Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1:8)

O estudo de missões, muitas vezes torna-se numa investigação em sociologia e antropologia, enfatizando culturas e tradições, religião comparativa, intercultural e comunicação inter-racial, e assim por diante. Embora pudesse ser útil considerar estas questões, a própria teologia e método de Jesus são muitas vezes ignorados, e até mesmo opostos. Poder é fundamental na Sua visão de missões. É o poder de falar, o poder de agir, e o poder de realizar feitos extraordinários. No relato bíblico, esse poder é a ferramenta da pregação regular, da defesa perante as autoridades, e nos debates com estudiosos.

Quando se trata do avanço e estabelecimento da fé cristã mundial, Jesus coloca a sua ênfase no poder. Poder é fundamental para o empreendimento missionário. O poder é necessário para todas as atividades do ministério. Uma teologia de missões que não oferece poder de um representante supremo difere radicalmente dos conceitos da Grande Comissão - o que é e como fazê-lo. É uma teologia que discorda Daquele que emitiu esta Comissão. Se quisermos nos tornar missionários fiéis em casa e no exterior, devemos entrar em acordo com Jesus Cristo e retornar para uma ênfase no poder.

Fonte: Trecho traduzido de "Sermonettes Vol 7" em http://www.vincentcheung.com/books/snet07.pdf

Traduzido por Eric N. de Souza