quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Filipe Machado - O cristão e a pirataria


*A presente carta é de gênero fictício, embora contenha situações da vida real.

Amado Cornélio, sinto-me compelido a lhe escrever - ainda que brevemente - sobre uma questão que está muito na "moda" nos dias de hoje, isto é, o contribuir-se para a pirataria (ou como dizem, "ser contra o sistema" - já escrevi sobre isso, aqui).

Lembro-me de quando você conversou comigo e falou que não conseguia entender o porquê ser errado comprar cd's piratas, baixar músicas, filmes, jogos, pois segundo seu entendimento, não precisamos seguir "as regras" do jogo quando elas são injustas. O problema, meu estimado irmão, é que mesmo fazendo sentido sua argumentação, tanto na questão de que o governo nos aflige com altas doses de impostos, como sobre a licitude de tomar para si aquilo que não conseguimos de outra maneira, a Bíblia não dá apoio para sua prática, aliás, a condena.

As Escrituras nos ensinam a dar bom testemunho dos frutos do Espírito Santo em nossa vida - "Em tudo te dá por exemplo de boas obras" (Tt 2.7). Estamos vivendo em dias onde a pirataria está sendo veemente combatida. Organizações mundiais estão desejando acabar com o furto eletrônico e assim dar o que é devido aos fabricantes, contudo, veja que você e muitos cristãos estão querendo caminhar justamente na corrente contrária, isto é, querem legalizar a pirataria e que "danem-se" os direitos autorais. Concordo com você que os preços são abusivos e que não dão a mínima chance para que todos tenham acesso, porém não é igualmente verdadeiro que se todos cooperassem, os preços iriam baixar? Ademais, você como jovem cristão e com disposição "de sobra", já pensou em começar um movimento que estimule a compra de produtos originais, a fim de viabilizar o mercado para todos?

Fonte: Leia o texto na íntegra acessando o Blog 2Timóteo 3.16