sexta-feira, 10 de agosto de 2012

John Piper - O prazer na oração


Uma das evidências de que a busca da nossa alegria e a busca da glória de Deus devem ser a mesma coisa é o ensino de Jesus sobre oração no Evangelho de João. As duas declarações-chave estão em João 14.13 e 16.24. Uma mostra que a oração é a busca da glória de Deus. A outra mostra que a oração é a busca da nossa alegria.

Em João 14.13, Jesus diz: “Tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho”. E em João 16.24 ele diz: “Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa”. A união desses dois objetivos – a glória de Deus e a alegria dos seus filhos – é claramente preservada no ato da oração. Por isso, o cristão que busca o prazer será, acima de tudo, uma pessoa consagrada à oração séria. Assim como o cervo sedento se ajoelha para beber no riacho, a postura característica do cristão que busca prazer é de joelhos.

Olhemos mais de perto a oração como busca da glória de Deus e como busca da nossa alegria, nessa ordem.

Fonte: “Em busca de Deus” da Shedd Publicações