domingo, 19 de agosto de 2012

William O. Einwechter - Igreja e Estado



A teonomia também defende a separação da igreja e o Estado. A igreja e o Estado são instituições distintas, cada uma tendo o seu próprio ministério claramente definido por Deus. O Estado é um ministro de justiça civil para assegurar os direitos dos seus cidadãos e para punir os malfeitores (Dt 19.13; 25.1-2; Rm 13.1-4; 1Pe 2.14). A igreja é um ministro da graça através da pregação da Palavra de Deus e a administração dos sacramentos (Mt 28.19-21; 26.26-28; 1Tm 3.15; 4.13). O Estado não deve controlar (governar) a igreja, nem deve a igreja controlar (governar) o Estado. Contudo, ambos, igreja e Estado, devem agir sob a autoridade e lei de Cristo; ambos, igreja e Estado, devem servir ao reino de Deus cumprindo suas respectivas comissões; ambos devem assistir um ao outro e influenciar um ao outro para o bem.

---------

A teonomia condena fortemente a visão secular atual da separação da igreja e do Estado, que na verdade promove a separação do Estado e de Deus e a autoridade de sua lei. Essa perversão secular da doutrina bíblica da separação institucional da Igreja e do Estado é na verdade uma tentativa do homem autônomo deificar o Estado, e fazer da palavra do Estado a lei da nação em lugar da Palavra de Deus, que deveria ser a lei da nação.

Fonte: “Ética & a Lei de Deus” da Editora Monergismo