domingo, 20 de janeiro de 2013

João Calvino - Duas espécies de arrependimento


Outros, vendo na Escritura diferentes nomes para o que estudamos aqui, falam em duas espécies de arrependimento. E, para distinguir entre elas, a um chamam legal, pela qual o pecador, angustiado pelo duro castigo imposto ao seu pecado, e como que partido ou quebrantado pelo terror da ira de Deus, permanece preso a essa perturbação, sem poder se desentravar. A outra espécie eles chamam de arrependimento evangélico, pelo qual o pecador, estando lamentavelmente ensimesmado e aflito, não obstante levanta-se e eleva-se, abraçando a Jesus Cristo como remédio para a sua chaga, o consolo para o terror que o abate, o bom porto para o abrigar em sua miséria. Caim, Saul, Judas são exemplos do arrependimento legal. Quando a Escritura nos descreve o arrependimento deles, ela entende que, depois de conhecerem a gravidade do seu pecado, temeram a ira de Deus, mas, só pensando na vingança e no juízo de Deus, deixaram-se dominar por esse pensamento. Portanto, o seu arrependimento não é nada mais nada menos que o portal do inferno. Nele entrando desde a presente existência, já começaram a sofrer o peso da ira da majestade de Deus.

Fonte: "As Institutas" da Editora Cultura Cristã