quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Joel Beeke - Proposta ingênua


Alguns sugerem que o calvinismo e o arminianismo deveriam reconciliar-se, porque a Bíblia afirma tanto a soberania divina como a responsabilidade humana. Temos de ser calvinistas quando de joelhos e arminianos quando de pé, dizem eles. Mas essa proposta é ingênua. O calvinismo afirma o papel da responsabilidade humana tanto como o faz o arminianismo. O calvinismo e o arminianismo não podem ser unidos por causa das seguintes diferenças irreconciliáveis:
·        A iniciativa da salvação é de Deus ou do homem.
·        A depravação é total ou parcial.
·        A eleição é incondicional ou condicional.
·        A expiação é específica ou universal.
·        A graça salvadora é irresistível ou resistível.
·        Os santos têm de perseverar na fé ou têm de cair da graça.
Essas diferenças não são apenas questões de ênfase; representam sistemas de pensamento diferentes. No fim, os cinco pontos do calvinismo são bíblicos e precisam ser proclamados com ousadia e vigor.

Fonte: “Vivendo para a glória de Deus” da Editora Fiel