segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

R. C. Sproul - Podemos saber que somos salvos?


Precisamos perguntar a nós mesmos se vemos uma mudança real em nosso comportamento, alguma evidência exterior real da graça. Esse é um processo precário, porque podemos mentir a nós mesmos. É uma tarefa difícil de desempenhar, mas de modo nenhum impossível.

Temos mais um método vital de alcançar a certeza. A Escritura nos fala a respeito do testemunho interior do Espírito Santo. Paulo declara que “o próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm 8.16).

O principal meio pelo qual o Espírito testifica a nós é através de sua Palavra. Nunca tenho maior certeza do que quando estou meditando na Palavra de Deus. Se negligenciamos esse meio da graça, é difícil termos qualquer certeza duradoura ou forte de nossa salvação.

Um teólogo reformado, A. A. Hodge, dá a seguinte lista de distinções entre certeza verdadeira e falsa certeza.

CERTEZA VERDADEIRA
FALSA CERTEZA
Gera humildade não fingida
Gera orgulho espiritual
Leva à diligência na santidade
Leva à indulgência preguiçosa
Leva a um honesto auto-exame
Evita avaliação precisa
Leva ao desejo de comunhão mais íntima com Deus
É fria na comunhão com Deus

Fonte: “Eleitos de Deus” da Editora Cultura Cristã.