segunda-feira, 20 de maio de 2013

Morton H. Smith - O significado do Batismo Infantil


Se o batismo infantil é Escriturístico, assim como nós acreditamos, devemos mostrá-lo como tal. A questão que pode ser mencionada é sobre o seu significado. Do ponto de vista bíblico, não há benção inerente no sacramento em si mesmo e, portanto, não resulta em que todos que receberam o sinal são possuidores da graça real sinalizada. Isto é tão verdadeiro no batismo de adultos como é no de infantes (crianças). Deveria ser dito, portanto, que o batismo não é apenas um sinal de uma relação externa com a igreja. Ele é o sinal do Pacto espiritual da Graça.

A administração do rito não é baseada no nosso conhecimento dos decretos secretos de Deus; se fosse, em alguns casos, o batismo poderia ser administrado para aqueles que somente tem uma relação externa com a igreja visível, embora o batismo em si mesmo seja um sinal da relação espiritual. A base do batismo não é presumir eleição, regeneração ou salvação. A base é encontrada no mandamento de Deus de que os pais do Pacto e seus filhos devem ser selados com o sinal do Pacto. Não é algo sem importância ignorar o mandamento de Deus neste ponto. Moisés foi disciplinado por isso (Ex 4:24-26).

O Diretório para o Culto Público de Deus preparado pela Assembleia de Westminster sumarizou esta matéria assim: "Que a Promessa é feita aos crentes e sua semente, e que a semente e posteridade dos fiéis nascida dentro da Igreja, sob o Evangelho, não menos do que os Filhos de Abraão no tempo do Antigo Testamento; o Pacto da Graça, em substância, sendo o mesmo; e a graça de Deus e a consolação dos Crentes, mais abundante do que antes... Que as crianças, por batismo, são solenemente recebidas no seio da igreja visível, distinguidas do mundo e daqueles que estão fora, e unidas com os crentes; e que todos os que são batizados em o Nome de Cristo renunciam ao Diabo, ao mundo e à carne e pelo seu batismo estão obrigados a lutar contra eles; Que são cristãos, e santos por estarem ligados já antes do batismo, e consequentemente são batizados."

Fonte: "Systematic Theology - Volume Two", p. 668-669, de GPTS Press
Tradução: Eric N. de Souza