quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Vincent Cheung - Argumento Cosmológico

Seres e acontecimentos contingentes e não causados são impossíveis, visto que coisa nenhuma procede do nada. Visto que o nada não é algo, ele não pode produzir nada. Somente o ser sem início é não causado. Tampouco são possíveis seres e acontecimentos não causados. A causa deve anteceder o efeito – ao menos de forma lógica, se não cronologicamente. Assim, a causa existe antes do efeito. Se o ser ou o acontecimento já existe, ele não causa a própria existência, por já existir. Esse ente ou fato deve ser então não causado ou produzido por uma causa anterior.

Ainda que a progressão infinita de causas seja possível, a regressão infinita não o é. A progressão infinita pode ocorrer, desde que a causa continue a produzir novos efeitos, e é possível pela lógica que esse processo jamais termine. Entretanto, segundo a pressuposição da regressão infinita de causas, é impossível alcançar o presente, dada a irrealidade da viagem por meio do infinito real.

Fonte: “Introdução à Teologia Sistemática” da Arte Editorial