quarta-feira, 18 de junho de 2014

Joel Parkinson - A Triunidade Intelectual de Deus

Clark continua para mostrar que as três Pessoas divinas são distintas devido aos seus pensamentos diferentes. “Visto que as três Pessoas também não têm precisamente a mesma série de pensamentos, elas não são uma Pessoa, mas três” (The Trinity, 106-107). Tal distinção pode parecer estranha superficialmente, visto que cada uma das Pessoas divinas conhece todas as verdades (1 João 3:20; Mateus 11:27; 1 Coríntios 2:11). Alguém poderia então ficar inclinado a concluir que as três Pessoas têm os mesmos pensamentos. Mas o Dr. Clark está se referindo ao que eu chamo de “conhecimento subjetivo” das Pessoas, enquanto a onisciência delas concerne ao “conhecimento objetivo”.

Agora, o “conhecimento subjetivo” consiste de fatos concernentes à experiência pessoal de uma pessoa, enquanto o “conhecimento objetivo” é a verdade com respeito à experiência. Dizer “eu estou escrevendo este artigo” é uma proposição subjetiva: somente eu posso dizê-la. Por outro lado, a declaração “Joel Parkinson escreveu este artigo” é objetiva, pois pode ser conhecida e dita por qualquer um.

------------------------------

Assim, os pensamentos subjetivos das três Pessoas divinas e seu conhecimento objetivo não são uma e a mesma coisa, embora ambos sejam todo-abrangente. O Pai não pensa “eu morrerei ou morri numa cruz”, nem ele pensa “eu habitarei ou habito nos cristãos”. Somente o Filho pode pensar da primeira forma e a última é única ao Espírito Santo. Mas todos os três sabem que “o Filho morrerá ou morreu numa cruz” e “o Espírito Santo habitará ou habita nos cristãos”. Assim, os pensamentos subjetivos distinguem as Pessoas, embora o conhecimento objetivo delas seja compartilhado e completo.

Fonte: Monergismo

*Leia o texto completo em Monergismo