sábado, 24 de janeiro de 2015

Dwight Hervey Small - Batismo por aspersão

Lemos ainda: “Pela fé, celebrou a Páscoa e o derramamento do sangue, para que o exterminador não tocasse nos primogênitos dos israelitas” (Hb 11.28). Toda a seção média do livro de Hebreus está saturada da aspersão ou afusão do sangue de Jesus, bem como de seu poder purificador. Lemos ali que temos “a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala coisas superiores ao que fala o próprio Abel” (Hb 12.14). E se esse é o caso, o simbolismo da aspersão do sangue deve ter profunda significação para os crentes neotestamentários. Lemos ainda em Hebreus: “muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” (Hb 9.14). E Pedro: “eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas” (1Pe 1.2). O que é mencionado em um lugar como a lavagem do Espírito Santo, agora é mencionado como purificação pelo sangue de Cristo. A conexão é clara: o Espírito Santo aplica o sangue de Cristo para efetuar nossa purificação de pecado. O Batismo pelo Espírito Santo incorpora a ideia do sangue de Cristo, aplicado ao crente para purificação. Assim, todas as referências à aspersão do sangue, especialmente as do Novo Testamento, em Hebreus e nas epístolas de Pedro, estão associadas com a obra de Batismo do Espírito Santo. Ora, se a aspersão do sangue de Cristo é aplicada como purificação de pecado, então a mesma aplicação, como prática válida, se aplica ao Batismo ritual.


Fonte: “As Bases Bíblicas para o Batismo Infantil” da Editora Os Puritanos.