terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

R. A. Torrey - A doutrina do Tormento Eterno é confiável?


Idéias superficiais acerca do pecado, da santidade de Deus, e da glória de Jesus Cristo e de sua reivindicação sobre nós estão na raiz de todas as teorias fracas a respeito do destino dos impenitentes. Quando enxergamos o pecado em toda a sua hediondez e enormidade, a santidade de Deus em toda a sua perfeição, e a glória de Jesus Cristo em toda a sua infinitude, nada menos que uma doutrina de que aqueles que persistem na escolha do pecado, que amam as trevas em vez da luz, e que insistem na rejeição do Filho de Deus, sofrerão tormento eterno, satisfará as exigências de nossas próprias intuições morais… quanto mais intimamente os homens andarem com Deus e quanto mais consagrados se tornarem ao seu serviço, maior a probabilidade de que creiam nesta doutrina… Se de alguma maneira você enfraquecer a doutrina, ela enfraquecerá seu zelo. Repetidas vezes este autor tem se deparado com esta doutrina terrível e tem tentado encontrar alguma saída para isso, mas quando ele tem falhado, o que sempre tem acontecido ao final, quando é honesto com a Bíblia e consigo mesmo, tem retornado a seu trabalho, sentindo um peso ainda maior pelas almas e tendo uma determinação aumentada de se dedicar e de se gastar em favor da salvação delas.


Fonte: citação extraída de “O enigma do mal” de John Wenham, da Editora Vida Nova