terça-feira, 17 de março de 2015

John W Wenham - As ordens do Novo Testamento são superiores às do Antigo Testamento?

Frequentemente se pensa que as injunções do Novo Testamento são evidentemente tão superiores às do Antigo Testamento que, por conseguinte, não podem ter vindo de uma fonte comum. Esta ideia é o resultado de uma confusão simples, mas de grandes implicações, entre a lei civil e a lei moral. As diretrizes dadas por um legislador de perfeita sabedoria para o governo de uma comunidade decaída e pecaminosa não são, de modo algum, iguais às diretrizes que ele daria como padrão pelo qual um homem pudesse julgar sua vida interior. O Novo Testamento estabelece padrões de justiça, sem quaisquer qualificativos: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração”; “amarás o teu próximo como a ti mesmo”; “sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste”. Isso faz com que a atitude seja tão importante quanto a ação: o ódio é assassinato, a cobiça é adultério. Mas quando se chega à questão da elaboração das leis civis, pelas quais uma comunidade deve ser governada, a legislação bíblica baseia-se em atos visíveis, não em atitudes interiores.

Fonte: “O enigma do mal” da Edições Vida Nova